quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Um voto de nariz tapado


Em 2006, por ocasião da disputa eleitoral para presidente, o articulista da revista Veja, Diogo Mairnardi, declarou seu voto no tucano Geraldo Alckmin. Em seu texto elencava seus motivos, e dizia que votaria de “nariz tapado”. Pois bem, este que vos escreve vem agora declarar o voto em José Serra, e que também será de nariz tapado.

Em um ensaio recente, disse que não nutro a menor simpatia pelo tucano. Oras, como defender alguém que vai ampliar o bolsa família até um 13º salário? Que de cara sai prometendo um salário mínimo de R$ 600,00? Que demagogicamente flerta com um populismo barato? Não dá! Por isso tudo e mais outros atributos, recusei-me em votar no cepalista careca no primeiro turno. Anulei meu voto.

Sempre deixei claro minha posição quanto ao governo Lula, faço parte dos 4% da população – segundo pesquisas, você ainda acredita nelas? - que não se deslumbrou com o reinado do molusco. Portanto, Dilma não é, nunca foi e nem vai ser uma opção viável.

Para nós, libertários, não há nada mais caro que nossa liberdade. E é nessa ótica que defendo o voto em Mrs Burns, visando evitar um “mal maior”. Afinal, o PSDB, até o presente, nunca flertou com o totalitarismo - tirando algumas declarações desconexas e um ou outro chororó - não há nada que os desabone nessa questão.

Já o PT – que vai dar as cartas no governo Dilma -, conforme palavras do stalinista Josef Dirceu, sempre defendeu genocidas e supressores da liberdade. O Ministro da Propaganda do governo atual, Franklin Martins, está neste exato momento estudando formas de “controle” da mídia, ou seja, pelo o histórico de quem pleiteia: censura! O Ministro Marco Aurélio Garcia, um dos últimos comunossauros clássicos do país, é nada mais nada menos que um dos coordenadores da campanha dilmista. É o mesmo cidadão que tece loas a Fidel Castro e se recusa a comentar as violações a direitos humanos mundo afora por países próximos ideologicamente ao PT.

Já a candidata, que se vangloria de ter “lutado pela liberdade”, mente descaradamente! Ela, juntamente com os supramencionados, lutavam para implantar um regime de terror da chamada ditadura do proletariado (estou lendo o livro Sussurros – a vida privada na Rússia de Stalin, e tenho certeza que nunca houve e nem haverá qualquer correlação entre socialismo e liberdade. A propósito, deveria ser leitura obrigatória para esses sacripantas!).

Não vejo o menor problema em se discutir a descriminalização do aborto e a união civil dos casais homossexuais, a propósito, sou favorável a ambos. O que me irrita profundamente é a hipocrisia e o oportunismo eleitoral, e, justiça seja feita, ambos estão demagogicamente exagerando na dose. Fundamentalismo religioso é uma das causas do atraso da humanidade.

Ao que tudo indica – conforme eu já havia antecipado - a disputa vai ser acirradíssima. Não dá para prever o desfecho final. Eu, como defensor incansável das liberdades individuais, serei obrigado a tapar o nariz, apertar o 45 e confirmar.

Sad but true

Ps. Se Dilma perder, será muito mais pela própria imagem, que agora começa a aparecer realmente o que é, do que qualquer atributo de Serra.

4 comentários:

Helena Erthal disse...

Afonso,

Poucas vezes encontrei textos sobre nossa política que fossem tão próximos de minha maneira de pensar o assunto. Não acompanho as notícias(tanto da impressa aberta como a dita livre, mas já censurada) como você, pois, sinceramente não tenho estômago para tanto. Gostaria que seus textos pudessem alcançar mais pessoas, assim talvez essas teriam acesso a um questionamento mais fundamentado.

abraços
helena

Joao Junior disse...

Meu Amigo...
Espero que desta mesma forma pensem alguns milhoes de Brasileiros que consigam mudar o resultado final desta "partida comprada", se este pais onde vivo nao estivesse imerso na crisis, iria de onde vivo até Madrid para votar no Serra "de Nariz Tampado"!

Joao Junior disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
j.anisio disse...

Meu pai, até mesmo brincando, não erra uma! Me dizia que quando Deus criou o mundo, colocou um limite superior para a bondade e para a inteligência humanas, porque se o homem ultrapassasse esses limites, seria como um deus. Mas para a maldade e para a ignorância, não tinha colocado limite algum. Ou seja, o homem podia ser tão mau ou tão estúpido quanto quisesse...
Esta semana, o presidente da república (Escrevi sem maiúsculas de propósito) acaba de provar a verdade do que meu pai me disse como brincadeira.
Quando a gente pensava que o fundo do poço já havia sido atingido, que não era possível descer mais baixo, o nosso Calígula mostrou que estávamos errados. Conseguiu chafurdar um pouco mais fundo, consegui rebaixar um pouco mais o decoro do cargo que deveria estar exercendo. Fazendo uma vez mais piada com coisa séria, passando a mão na cabeça dos “companheiros” agressores, tentando transformar o lastimável episódio em um caso de fingimento da vítima, nosso Calígula sancionou a violência, a divisão, a brutalidade. Legitimou posições que, se extremadas, podem nos levar à beira da guerra civil. Só faltou acusar o seu adversário de ter buscado atendimento médico sem ter tomado pelo menos uma tijolada na cabeça.
Comparei nosso mais alto mandatário a Calígula por duas razões:
1)Calígula achava que era um deus. Disso o nosso mais alto mandatário tem certeza.
2)Calígula nomeou o seu cavalo "Incitatus" para o Senado de Roma, e tentou fazê-lo Cônsul (o mais alto cargo da magistratura romana). Já o nosso mais alto mandatário quer fazer de sua criatura sua sucessora...
Mas voltando ao tema, cabe a nós todos, brasileiros fazer a nossa parte para encerrar essa triste etapa da vida política nacional. Vamos lutar contra a covardia do voto nulo, contra a apatia da abstenção, vamos mandar de volta para a lata de lixo da História essa gente mentirosa e sem vergonha, antes que eles consigam arrastar o Brasil por um caminho sem volta para os pântanos do autoritarismo...