sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Um eterno, livre e apaixonado aprendiz


Quando escrevi a frase título deste texto, foi quando realmente encontrei uma certa paz interior, após anos de conflitos internos e reflexões. Este é um texto pessoal, resumir-se-á ao blog; pouquíssimos lerão. Digamos assim, só estará na net por capricho.

Como hoje é meu aniversário, esta é uma data para reflexão, acredito que este tipo de atitude só nos fortaleça e nos faz crescer como indivíduos.

Há um ano louvei meus amigos neste blog, inclusive nominei-os, cometendo algumas injustiças, mas já me antecipei e disse que seria consequência da parca memória: Com certeza estou esquecendo uma penca de gente, não é minha intenção desmerecer ninguém, o que pode ser lido aqui
http://afonsocachorrao.blogspot.com/2008/09/33.html. Ainda que neste meio tempo tenha perdido duas amizades de peso – notem que sei perfeitamente a quantidade e os motivos estão implícitos neste texto http://afonsocachorrao.blogspot.com/2008/09/valores-morais.html -, os motivos sobrepõem qualquer arrependimento; tenho certeza que adquiri outras afeições, e em maior número e em equiparado valor.

Creio que estou chegando a uma fase de maturidade, onde aprendi a pedir desculpas - o que nunca será fácil para alguém de personalidade forte e orgulhosa -, onde reconhecer os próprios erros e limitações tem sido uma constante.

Talvez ainda peque muito, mais do que devia, mas me policio. Tornei-me muito mais radical em certas posições, que dizem respeito ao caráter individual. Meu imperativo categórico está mais forte do que nunca!

Vou evitar nomear pessoas, justamente para não repetir o erro do ano anterior, mas hoje tive contato com amigos que não visualizava há anos, isso é muito bom, muito prazeroso e nos nutre de emoção benéfica. Talvez eu esteja emotivo demais neste momento de reflexão.

Sou extremamente cético e contestador, mas aprendi a ser mais observador, a pensar antes de falar, ainda que continue errando muito neste quesito. O aprendizado constante é algo que só agrega valor e tem me feito muito bem.

Muitas vezes sou radical, teimoso e “senhor da razão”, mas aprendi dar o braço a torcer, desculpar-me. Alguns têm uma visão até errada da minha pessoa, mas quem realmente me importa sabe exatamente o que sou.

Ontem, quando relia uns comentários no meu blog, emocionei-me muito com uns amigos que fiz no meio virtual. A admiração é recíproca, e é muito bom termos referência de peso em nossa breve existência.

Tenho evitado me exaltar, evito dirigir sempre que posso, não discuto, ou procuro não discutir com ignorantes, sou mais seletivo nas companhias que me cercam e tenho dado mais valor à família – inclua-se nisso, amizades!

Bom, fica esta reflexão no espaço virtual. Entre erros e acertos seguimos nossas vidas, e a tendência é sempre, para melhor!

Beijos e abraços!

4 comentários:

Bruno Pael (LeFrade) disse...

Oi Afonso, tudo tranquilo?
Cara, depois de ter encontrado o seu Blog, tenho lido sempre que você posta alguma coisa. Confesso que gosto mais dos textos como este, mais introspectivo e existencial do que os de conteúdo político, rsrs.
Quando eu criei meu blog, minha intenção era justamente escrever textos que promovessem reflexões sobre a vida. Não consegui fazre isso tão bem quanto você, mas vou tentando.
Hoje, quando li este texto aqui, senti como se estivesse sido escrito por mim, rsrs, tamanha a identificação que senti com com suas palavras, porque hoje me vejo exatamente da mesma forma, "Um eterno, livre e apaixonado aprendiz", só que talvez não tão livre, tenho minhas amarras que não consigui desatar ainda, mas sei onde elas estão.
Enfim, excelente texto, mesmo que tenha sido uma coisa muito pessoal sua, esse é o tipo de reflexão que tem sequestrado minha mente nestes últimos tempos.

Um abraço.

Bruno Pael (LeFrade) disse...

correção: "como se tivesse sido escrito por mim", não "estivesse". hehehe.

"Consegui", em vez de "consigui".

Os outros errinhos podem passar, rs.

Abraço.

Bruno Pael (LeFrade) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lara disse...

Olá Afonso!
sempre te vejo na comu do diogo e hoje vim conhecer seu blog.
sua reflexão me lembrou uma entrevista com a marília gabriela, onde ela fala que quando ficamos mais velhos, temos mais sabedoria, mas infelizmente o corpo entra em decadência. e é a realidade, o que podemos fazer? pra mim, aproveitar o hoje, sempre aprendendo como você diz.
um abraço.